O Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), em parceria com a Prefeitura Municipal, Casa Cairbar Schutel e Fundação Toque, realizará no dia 13 de abril (sábado), a 2ª Campanha de Coleta Seletiva de Resíduos Eletroeletrônicos, das 8h às 12h, na Fundação Toque, situada no Jardim Igaçaba (Avenida Antônio Alves de Araújo nº 820).

As pessoas que possuírem resíduos eletroeletrônicos como: aparelho celular, baterias, cabos e carregadores, caixa de som, calculadoras, cartucho, toner, CD Room, CPU, DVD, estabilizador, fotocopiadora, HD, impressoras, monitor, mouse, no break, placa de rede, placa de vídeo, placa mãe, processador, teclado, fax e aparelho telefone, DVD, microondas, scanner, ventilador, liquidificador, TV, freezer e geladeira, que não utilizam mais e querem dar um destino, ambientalmente, correto devem levá-los até a Fundação Toque para que sejam coletados e destinados corretamente.
Por que fazer o descarte dos resíduos eletrônicos de forma correta?
A preocupação ambiental em relação ao lixo eletrônico vem crescendo muito, em todo o mundo, pois este tipo de resíduo, quando descartado de forma incorreta, acaba liberando substâncias tóxicas, que contaminam o solo e, consequentemente, podem atingir o lençol freático e poluir regiões inteiras.
O avanço acelerado do desenvolvimento tecnológico encurtou o ciclo de vida dos equipamentos de informática, gerando assim uma enorme quantidade de resíduos que, na maioria das vezes, não está tendo um destino adequado.
Quando destinado ao aterro sanitário controlado ou a lixões, os resíduos eletrônicos liberam substâncias químicas, como mercúrio, cádmio, arsênio, cobre, chumbo e alumínio, estas penetram no solo e atingem os lençóis freáticos. A utilização da água dos lençóis contamina animais e plantas utilizados na nossa alimentação. “Dessa maneira, podemos nos contaminar através da ingestão desses alimentos. As consequências vão desde uma simples dor de cabeça e vômito até complicações mais sérias, como comprometimento do sistema nervoso e surgimento de diversos tipos de cânceres”, explicou Valter Iost, coordenador de Educação Ambiental.
Por que a Casa Cairbar Schutel está nessa campanha?
A Casa Cairbar criou o projeto de Oficina de Reciclagem de Resíduos Eletroeletrônicos dando um importante passo em prol do meio ambiente e da reabilitação psicossocial de seus assistidos. Os benefícios envolvidos nessa importante campanha são:
- Benefício financeiro: o projeto representa para a Casa um aumento considerável da receita através da desmontagem e comercialização dos produtos extraídos dos aparelhos, de modo a transformar resíduos em recursos.
- Benefício ambiental: ajuda diminuir a pressão sobre os bolsões de entulho e aterro sanitário.
- Benefício econômico-social: beneficia a geração de renda aos pacientes selecionados para o trabalho, bem como para sua dinâmica familiar, ensinado-lhes uma nova profissão e, consequentemente, a possibilidade de reintegração ao mercado de trabalho. A reabilitação em saúde mental permite que o paciente receba tratamento através da equipe multidisciplinar, e possibilidade de trabalho e geração de renda proporcionando estabilidade e equilíbrio psíquico. Estas ações têm como principais objetivos: a diminuição significativa do processo de reinternação psiquiátrica, a inclusão social pelo trabalho e renda e, acima de tudo o exercício da cidadania, caracterizando-se assim, melhor qualidade de vida.

Assessoria de Comunicação do Daae, 08 de abril de 2019.

Pin It

Enquete Daae

Como você avalia o atendimento ao público presencial (PAPs)

facebook

Back to top