A Revista eletrônica Saneamento Ambiental, da editora Signus, publicou na edição do mês de junho o ranking das melhores do setor. O Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae) está em destaque na 11ª posição, entre as 26 instituições municipais públicas em saneamento ambiental do Brasil, que responderam ao questionário enviado pela publicação. Entre as paulistas, o Daae Araraquara figura no 8º lugar.

A revista destaca os projetos em implantação e programados, programas ambientais, investimentos, população atendida com água e esgoto; volume de água produzido, o perfil das empresas, entre outros. São pesquisadas instituições estaduais e municipais, tanto públicas como privadas.
Para a classificação das instituições é considerado o índice da Receita Operacional Líquida. No caso do Daae, em 2016, o índice foi de R$ 114.943.358,09. Os maiores órgãos municipais públicos do saneamento são: Sanasa de Campinas (SP), DMAE de Porto Alegre (RS), Saae de Guarulhos (SP), Semasa de Santo André (SP), Saae de Sorocaba (SP), DAE de Jundiaí (SP), Samae de Caxias (RS), Semae de Piracicaba (SP), Cesama de Juiz de Fora (MG) e Semae de São José do Rio Preto (SP) e Daae Araraquara.

Reestruturação e modernização - Desde 2017, a autarquia está investindo em melhorias e na recuperação e reforma de equipamentos.
Para melhorar a qualidade na distribuição da água, o Daae investiu na aplicação de tanino vegetal (coagulante orgânico), que contribui ao meio ambiente. A cidade recebeu mais um poço e um reservatório de 1 milhão de litros, na região do Jardim Universal. Atualmente, na região norte estão sendo implantados dois poços profundos e dois reservatórios, cada um com 1 milhão de litros. Para combater as perdas de água, o Daae está realizando a subsetorização da região do Jardim Roseiras e
Vila Velosa. Também foi iniciado o serviço de vistoria de 26 reservatórios (24 de concreto e dois de argamassa armada), com o objeto de avaliar as condições gerais, estruturais e de impermeabilização dos reservatórios utilizados no abastecimento de água da população. A iniciativa é inédita e permite ao Daae ter acesso a informações precisas da situação dos reservatórios, visando o trabalho preventivo. Também estão programados para este ano o desassoreamento da lagoa da captação e o estudo diagnóstico da bacia do ribeirão das Cruzes.
Na Estação de Tratamento de Araraquara foram reformados e reinstalados 13 aeradores e ativados os sistemas de tratamento do lodo, no módulo 1 e recuperação da estrada de acesso à estação. Além disso, foi contratado serviço de elaboração de diagnóstico para modernização da estação, instalação de novas roscas e aquisição de novas peneiras para o tratamento primário. Também foi realizada batimetria nas lagoas da estação e está em processo de assinatura o convênio entre Daae e Secretaria Estadual de Recursos Hídricos para retirada do lodo das quatro lagoas da ETE Araraquara. A coleta do esgoto na região do Jardim Universal será melhorada com as obras de remanejamento do interceptor do Paiol, obra iniciada agora, em junho.
Na área de resíduos sólidos, a coleta seletiva foi ampliada contemplando novos bairros, como Valle Verde e Jardim do Vale, na região norte da cidade. Os bolsões de entulho receberam adequações para melhorar o recebimento e remoção dos materiais. No local, foram instalados plataformas, gabiões, caçambas para o recebimento de materiais e compra e locação de equipamentos.
O Daae pretende implantar um plano de modernização e expansão de sua sede, na Vila Velosa, para melhorar suas operações e o atendimento ao público.

Assessoria de Comunicação, 21 de junho de 2018.

Pin It

Enquete Daae

De modo geral, como você considera o serviço oferecido pelos bolsões de entulho sob responsabilidade do Daae?

facebook

Back to top